quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Xe Gordo, um herói do nosso tempo...

Os Juízes hesitam... E com razão. Uma jóia de rapaz como o Xe Gordo merece sempre mais uma oportunidade - até porque os Xegordos podem sempre vingar-e, coisa que as pessoas normais e cumpridoras da lei jamais fazem. Por isso é que os Xegordos mandam nisto, fazem o que querem e toda a gente tem que os aguentar.

Pensem, os leitores não professores, na quantidade de meninos destes espalhados pelas escolas do país, e na conspiração de silêncio que existe para que as suas proezas dentro da escola não venham a público. Manda a mentalidade vigente que estes meninos sejam protegidos das consequências dos seus actos. Incendeiam autocarros, espancam colegas, professores, funcionários, metem-se no crime maior, mas a mentalidade vigente culpa esse ente mauzão que é a "Sociedade", e a mentalidade vigente resolve tudo com "uma conversa" e umas palavrinhas mansas. E o Xe Gordo ri-se e acelera!






Albergaria-a-Velha: MP pede prisão para três jovens

Atraem para sexo e roubam

O procurador do Tribunal de Albergaria-a-Velha pediu ontem uma pena de prisão para três jovens acusados de roubo a um reformado de 73 anos.

Por:Francisco Manuel


Pedro Miguel, conhecido por ‘Xe Gordo’, rapaz de 18 anos que se encontra com pena suspensa por ter incendiado vários autocarros na central de camionagem local, e os dois cúmplices, Juan Carlos Saraiva, 21 anos, e Mónica Ferreira, de 19, são acusados pelo Ministério Público de atraírem o homem para um encontro sexual com o objectivo de o assaltarem.

Tudo aconteceu em Outubro de 2006. A vítima respondeu a um anúncio de carácter sexual, do serviço de teletexto de um canal televisivo. De acordo com o reformado, depois de se encontrar com Mónica no centro de Albergaria-a-Velha, ela convenceu-o a ir até um local ermo onde estavam os dois cúmplices, munidos com uma pistola de paintball, que o obrigaram a sair do automóvel e entregar a carteira. No interior, o homem tinha guardado 300 euros. "Era o dinheiro que estava a juntar para comprar um plasma", explicou o septuagenário ao colectivo presidido pelo juiz Vítor Soares.

Enquanto ‘Xe Gordo’ se remeteu ao silêncio, Juan Carlos e Mónica contaram uma versão nova de toda a história. A jovem afirmou que, quando chegou ao encontro, se arrependeu e tentou ir embora, mas o reformado não a terá deixado, por isso mandou mensagens aos amigos para acorrerem em socorro dela. "Ele disse que não veio de tão longe para nada", afirmou.

A mesma versão contou igualmente Juan Carlos, acrescentando que o objectivo era dar uma lição ao reformado que, garantiu ainda, na carteira apenas tinha 10 euros.

"São jovens com um passado duvidoso e, por isso, não sei se merecem outra oportunidade", sustentou o procurador, pedindo penas de prisão para os três arguidos.

Sem comentários:

Enviar um comentário