segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Os vídeos foram à vida!

Este blog é a prova de que há muito que chamo a atenção para isto. Começa a vir a verdade ao de cima. Mas falta muito. Quem não está nas escolas não sonha o que é. As direcções das escolas muito raramente dizem alguma coisa. Branqueiam, em nome da segurança dos seus cargos e das ideologias modernaças que professam e que não querem sujeitar ao duro teste da REALIDADE:



Os vídeos do YOUTUBE foram à vida - claro! Os valentes, que são uns valentões para baixarem as calças na aula, borraram-se todos e recuaram. Espero que alguém os tenha guardado. Lamentável, a legenda 'assassina' do Correio da Manhã. Como pode a professora não ficar 'passiva', se até os todo-poderosos directores confessam ter as "mãos atadas" com a actual legislação, como noutro dia um deles confessava nas mesmas páginas do Correio da Manhã? Se a professora filmar a aula leva uma rabecada das antigas, como aconteceu a uma que o fez no Reino Unido. Se fizer queixa, o senhor director arquiva-a no cesto dos papéis e ainda dá má nota à professora, por 'não saber manter a ordem'. Se a professora tem o azar de chamar a atenção de forma mais enérgica leva logo dos alunos e ainda leva mais dos pais à saída, pois gente desta é mesmo assim. Porca miséria! Presos por ter cão e presos por não ter! No que esta profissão se transformou, por obra dos Governos do PS... E diga-se que nada tenho, em termos ideológicos, contra o PS, ou contra o PCP, ou contra o CDS ou contra o PSD, ou seja contra que partido for. Tomara eu que eles governassem bem quando lá estão.

Aulas caóticas filmadas (COM VÍDEOS)

Alunos da Escola Secundária Miguel Torga, em Sintra, infernizam aula.

Por:Bernardo Esteves




Uma das cenas captadas perante a passividade da professora»


Triste legenda esta, ó Correio da Manhã...


--------------------------------------------



Comentário de Ramiro Marques no seu blog:

O pão nosso de cada dia

07 Novembro, 2011 Posted by prof ramiro marques

O Correio da Manhã publica hoje, na versão digital, dois vídeos sobre o descalabro numa aula de uma escola do concelho de Sintra.

Não ponho link para os vídeos para não colaborar na divulgação de um ato ilegal. Os protagonistas são facilmente identificáveis, são menores de idade e até é possível identificar a professora.

As cenas veiculadas pelos vídeos são o pão nosso de cada dia nas nossas escolas, sobretudo nas turmas CEF e nos cursos profissionais.

Há de tudo. E tudo se permite. É a naturalização da má educação e da violência verbal e física. É a escola como instrumento de inculcação de vícios e contra-valores.

Vê-se um aluno a baixar as calças em plena aula, a mexer nos seios de uma colega e a fazer gestos obscenos perante a gargalhada geral. Os jovens circulam pela sala gargalhando. Ninguém toma atenção ao que a professora diz. A professora, impávida e serena, dá a aula como se a sala estivesse vazia.

Pergunto: é para isto que os nossos impostos servem? Não seria mais vantajoso para estes jovens, que aparentam ter entre 16 e 18 anos de idade, estarem a trabalhar ou a aprenderem um ofício em vez de andarem a desperdiçar o nosso dinheiro e o tempo deles em atividades tristes e lamentáveis?

Justifica-se desperdiçar o dinheiro dos contribuintes a manter na escola alunos deste tipo até aos 18 anos de idade?

Sem comentários:

Enviar um comentário