quinta-feira, 23 de junho de 2011

Todo este blog num só post

Não tenho absolutamente nada de pessoal contra o Partido Socialista nem contra qualquer outro. Nestes últimos 6 anos, contudo, vivi o drama da degradação do ambiente nas escolas, por via da indisciplina galopante, totalmente consentida pelo Governo que cessou em 5 de Junho de 2011.

O Partido Socialista, na opinião de muitos analistas, tem/tinha uma agenda oculta de degradação da qualidade da educação nas escolas públicas. Isso, juntamente com a chamada "pedagogia do coitadinho", levou a que toda a violência e indisciplina fossem escondidas.

Não é apenas por mim, que nestes 6 anos fui diariamente enxovalhado, ameaçado, desrespeitado e insultado, por alunos que perceberam que tudo lhes era permitido, e por pais envenenados pelo Governo contra a minha profissão.

Isso aguento eu. O que mais me custou foi ver perderem-se alunos. A escola, onde deviam colher estrutura, auto-disciplina, motivação e exemplos para a vida, foi para eles uma porta de entrada no deixa-andar, no álcool, nas drogas, na violência e na marginalidade. Os que não foram por aí, viram-se privados de aulas normais, pois as salas de aula passaram a ser dominadas pelos alunos prevaricadores.

Esta notícia tem tudo. Avivei a negrito:

- a vulgarização de comportamentos inconcebíveis para alunos de 13 e 14 anos.

- a impotência das autoridades.

- a política de ocultação promovida pelos directores (que continuam nas suas funções de agentes do Poder, apesar de o PS ter perdido as eleições).

Uma garota é violada. E já nem ninguém se espanta. haverá uma ou outra divagação made in Sociologia da Educação, cheia de chavões tais como "comportamentos desviantes", "bullying", e a inevitável questão do "estrato social de origem" dos alunos.

Foram 6 anos. Vai levar muitos mais para se reparar os danos causados.

A notícia é do Correio da Manhã:








Por:Joana Vales / Roberto Bessa Moreira

Sem que nenhum professor ou funcionário desse conta, dez alunos, entre os 13 e os 14 anos, da Escola EB 2, 3 de Sande, em Marco de Canaveses, decidiu escapar ontem de manhã às festividades do final do ano lectivo para consumir álcool junto a um riacho. Ficaram completamente alcoolizados e uma jovem que estava no grupo diz ter sido abusada.

Os calções da vítima foram rasgados e aquela foi tocada em diversas partes do corpo. A violação só não se consumou porque os professores foram entretanto alertados. Quando os docentes chegaram ao local, a pouco mais de 400 metros da escola, a jovem e outro menor estavam praticamente inconscientes. Foram ambos transportados para Hospital de Penafiel.

Aos bombeiros a jovem admitiu que bebeu demasiado e acabou por cair ao riacho. Contou que a tiraram da água, lhe rasgaram os calções e tentaram abusar dela. Os menores confirmam os abusos, mas dizem que aqueles apenas foram cometidos pelo rapaz que foi com a vítima para o hospital.

"Estavam os dois deitados ao sol porque tinham bebido muito e ele começou a tocar-lhe onde não devia e tirou-lhe a roupa quase toda à força. Decidimos chamar os professores", contaram vários alunos que estavam no grupo.

"JÁ É NORMAL BEBERMOS"

Os alunos ontem envolvidos no incidente admitiram que já não é a primeira vez que consomem álcool junto à escola. "Já é normal bebermos. Trazemos bebidas de casa, faltamos às aulas e vamos para o riacho. Os bombeiros já foram chamados muitas vezes, exageramos sempre no álcool", admitiu um dos jovens.

Os menores garantiram também que muitas vezes fogem pelas grades da escola.

ALVO DE EXAMES NO HOSPITAL

A menor abusada realizou ontem, ao final do dia, exames médicos no Hospital Padre Américo, em Penafiel, para tentar encontrar vestígios dos abusos. Os pais da jovem e do colega que também foi hospitalizado foram de imediato chamados à unidade hospitalar, tendo ficado bastante perturbados com tudo o que aconteceu.

O CM contactou ontem a escola que negou a ocorrência de qualquer incidente.

Sem comentários:

Enviar um comentário