sábado, 23 de outubro de 2010

Há que calar a Verdade! Estilo URSS!




Qualquer professor que pactue com este Governo é meu inimigo pessoal e merece todo o meu desprezo.

"CEF de Electricidade, uma turma a não esquecer". É assim que começa um vídeo posto a circular na internet por jovens que se identificam como alunos do Curso de Educação e Formação (CEF) da Escola Faria de Vasconcelos, de Castelo Branco.

Ao longo de cinco minutos, o grupo mostra o que faz dentro da sala de aula na ausência de professores, a começar por um jogo de cartas. Já perto dos dois minutos surge a legenda "Patrão fora? Dia santo na loja!", que marca o inicio de um capítulo dominado pelo vandalismo. Os jovens atiram bancos pelo ar, saltam por cima das mesas, partem objectos, jogam no computador da sala de aula, arrombam um armário e destroem uma porta da sala com uma espécie de machado. Pelo meio vê-se o que parece ser um professor sentado na mesa, enquanto um dos alunos filma sem que este se aperceba. Porém nestas imagens não há actos de vandalismo.

A fase final do vídeo é dedicada ao que os jovens chamam de "reciclagem". Os planos mostram o pavilhão da escola onde se encontravam depositados alguns electrodomésticos velhos, que estes se encarregam de destruir. Antes de terminar ainda é feita uma compilação dos actos de vandalismo já apresentados, que termina com a expressão "um ano e peras".

O vídeo diz respeito ao ano lectivo de 2009/2010 e o autor assina com um pseudónimo. Este corresponde a um jovem de Castelo Branco com 17 anos, de acordo com a informação contida no canal que gere no portal de vídeos Youtube. A morada de internet correspondente ao vídeo chegou ao Reconquista através de uma mensagem anónima de correio electrónico, enviada por alguém que se identifica como professor. Já depois desta denúncia o vídeo foi removido do Youtube pelo próprio autor do canal, mas o Reconquista extraiu uma cópia do mesmo logo que teve conhecimento da denúncia.

Confrontada com a existência das imagens, Graça Ventura, a directora do Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos, disse desconhecer o vídeo, mas garante que o mesmo "é falso" e que se trata de uma montagem destinada a caluniar a escola. No entanto nos actos de vandalismo filmados no exterior identifica-se o pavilhão e algumas das habitações em redor.

O Reconquista disponibilizou-se para mostrar as imagens à responsável pela escola, mas esta recusou, apesar da insistência.

Sem comentários:

Enviar um comentário