domingo, 14 de março de 2010

Evocação – Luís Carmo


Poema de Isabel Fidalgo, publicado em A Educação do meu Umbigo

.
A culpa não tem desculpa
E a morte não tem regresso.
O resto é o deserto sufocado
Na jaula do silêncio
Onde o medo se mede
Ao milímetro minuto
Enquanto a tela se tece
Com negro de breu.
Uma clave de sol com dó de si
Numa arena de tigres
Retocando nos retalhos da chacota
O seu nocturno de Chopin.
Faça-se silêncio por favor
Que o pavor ainda ressoa
À tona das águas.

Maria Isabel Fidalgo



Que possa finalmente ter encontrado paz, colega Luís Carmo.

Sem comentários:

Enviar um comentário