quarta-feira, 18 de março de 2009

Os Ciganos na Escola

Nem será preciso dizer que nada me move contra os ciganos, ou contra qualquer outro povo. Acredito - e a experiência assim me diz - que não há povos fadados para o crime ou para a marginalidade, povos superiores ou inferiores.

Contudo - e os ciganos que conheço concordam - a comunidade cigana tem sido, nos últimos anos, muito permeável à delinquência. As gerações mais novas entraram em massa no tráfico de drogas e outras actividades criminosas.

Movidas pela síndrome do "politicamente correcto", as autoridades usam a discriminação positiva na forma de tratar os ciganos. Os ciganos não respeitam leis básicas, como o Código da Estrada. São precedentes perigosos que lhes abrem caminho a abusos de vária ordem. Vivendo em clãs, os ciganos dispõem da força da união. Toda a gente sabe que, se se travar de razões com um cigano, passado um bocado terá todo o clã á sua porta, armado e disposto a tudo para conseguir a vingança.

Agora imagine-se como é com os alunos ciganos nas escolas, quando o panorama geral de indisciplina já é calamitoso. O aluno cigano sabe que ninguém no espaço escolar se atreve a repreendê-los. Quando algum professor se atreve a chamar a atenção a um aluno cigano, há boas possibilidades de que este lhe responda "Eu sou cigano. Não pode obrigar-me a fazer isso" ou "Eu sou cigano, não pode castigar-me".

Ontem, em Aveiro, uma professora terá tido a veleidade de tratar uma aluna cigana como qualquer outro aluno. O resultado? Levou uma sova da aluna e foi parar ao hospital.

Repito: hoje em dia, os alunos oriundos de meios em que reina a marginalidade, levam para a escola os seus maus hábitos, impunemente.
Não são apenas os ciganos.
Quem já trabalhou numa escola suburbana, e visitou os bairros sociais onde estão alojadas famílias ciganas, sabe bem dos Porches e das somas brutais em dinheiro nos bolsos, à mistura com o rendimento mínimo, as couves plantadas nos lavatórios e bidés dos apartamentos, mais os burros e os porcos nos rés-do-chão totalmente degradados e inabitados, que servem de curral e pocilga, depois de as portas e janelas terem sido arrancadas para lenha ou para vender o alumínio.

Na foto pode ver-se a escola da lagoa Negra e o "contentor" que está a servir de motivo para picardias políticas entre Governo e Oposição. De ambas as partes, o ignorar da realidade e o aproveitamento político de uma situação em que a intenção dos professores foi a melhor.

4 comentários:

  1. Como é que antes de um texto tão sensato e verdadeiro pode afirmar que nada o move contra os ciganos?
    Os ciganos são uma praga social que tem vindo a ganhar poder devido à falta de coragem das autoridades para os pôr na ordem nas mais diversas situações...
    Contudo, há que reconhecer que os ciganos são um povo resistente e que se adapta bem às circunstâncias, nómadas por natureza procuram os melhores locais para acamparem. Por isso, se em Portugal fossem tratados como deviam ser, isto é , a tiro, o seu instinto de sobrevivência alertá-los-ia e iriam para Espanha. Esse problema ficava resolvido.

    ResponderEliminar
  2. os ciganos deviam ser bons se vao a escola para fumar e fazeer coisas mas deviam tar noutro sitio eles sao uma maldita raça metem me nojo

    ResponderEliminar
  3. muito nojo as veses keria ke nao isestissem

    ResponderEliminar
  4. os comentários efectuados, são de certeza escritos por pessoas ignorantes e burras,sem o minimo de instrição escolar pois estas pessoas a mim como cigano que sou metem-me nojo,aldeões de segunda,porcos,pedofilos que nem os proprios filhos perdoam

    ResponderEliminar